sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Um lugar na cadeia alimentar

Daqui

Ela sabe, ela sabe. Catz rule. Ela faz por reprimir quando isso lhe vem à cabeça, para conseguir continuar a cuidar deles. Just don't push it. One never noez what ze wind may bring aboat hey, pussy catz?

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Segredos





Todos os domingos vou olhar. Uma espécie de ritual, como o café da manhã e o jornal. Indecisa entre a culpa e a sensação de partilha, a vontade de conhecer melhor o que as pessoas levam por dentro. Ainda não estou certa do que procuro lá. Mas sempre volto.


segunda-feira, 15 de outubro de 2007

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Série Baú de Pandora

Não se vê o final, porque fechei o baú a tempo :)

sábado, 8 de setembro de 2007

Encosta-te a Mim

Beijos no Jorge Palma porque gostamos das músicas dele, do seu ar desarmado anti-estrela, porque gostamos de noites que acontecem, mesmo quando o vinho não é bom e a banda não tem tom (basta um passo inseguro e um paraíso no olhar), porque já lambemos lágrimas (conhecemos os cambiantes do seu sabor), porque gostamos da terra dos sonhos e de estrelas do mar. O bairro do amor foi feito a lápis de cor por gente que sofreu por não ter ninguém.

Ao meu amor:
Tudo o que eu vi, estou a partilhar contigo
O que não vivi,um dia hei-de inventar contigo.
Encosta-te a mim :)

sábado, 11 de agosto de 2007

Una torre transparente


Dos amantes dichosos hacen un solo pan,
una sola gota de luna en la hierba,
dejan andando dos sombras que se reúnen,
dejan un solo sol vacío en una cama.
De todas las verdades escogieron el día:
no se ataron con hilos sino con un aroma,
y no despedazaron la paz ni las palabras.
La dicha es una torre transparente.
El aire, el vino van con los dos amantes,
la noche les regala sus pétalos dichosos,
tienen derecho a todos los claveles.
Dos amantes dichosos no tienen fin ni muerte,
nacen y mueren muchas veces mientras viven,
tienen la eternidad de la naturaleza.

Pablo Neruda, 1959

terça-feira, 17 de julho de 2007

Parabéns karida



Ela nasceu cedo num dia feliz, com flores e excitação e muitos sorrisos. Cresceu doce, querida, sensata. Revelou-se mulher generosa, meiga e forte. Luta em silêncio e chega longe. A rebeldia dela é conseguir. É muito, muito amada por todos, e merece todo o carinho que recebe. Parabéns, mana linda. És a minha princesa com cheiro de gelado e retrato em sépia :)

domingo, 15 de julho de 2007

Postal virtual

É o primeiro site de postais que encontro que vale a pena.

Fiquei feliz por ter quem encaixasse nos meus preferidos. Este é para todos :)



daqui

Bom domingo. Divirtam-se enquanto eu trabalho.

quinta-feira, 12 de julho de 2007

Tan a mi manera II



Ela chegou. Uma carta escrita, para mim cara bonita. Tudo o que eu sonhava ela tinha. Amor, imagem, detalhes, presença, pedaços de vida. Tudo delícia. Tão importante para mim. O coração bateu forte, a alma encheu-se, e sentir quem amo junto de mim assim fez de mim um sorriso só.

Tempo para se dar

Tempo para falar. Para ir e voltar, para a urgência que houver ser alegre, para amar sem pressa e com um dia a seguir ao outro. Tempo para saber que estás sem olhar, tempo de permanência que deixa marcas indeléveis na casa, nos hábitos, na forma de ver. Tempo de amor sem angústia, de agenda planeada a dois, de naturalidade, de falar em silêncio. Tempo tanto que contá-lo seja ilógico. O de não estar, mas ser.

Imagem daqui




"Aqui vivemos muitos anos..."
Sérgio Godinho, A noite passada

terça-feira, 10 de julho de 2007

A bom Porto


"És um rio cheio de água lavada / E dás rumo à fragata que escolhi"
Pedro Barroso
Imagem daqui

És um amor cheio, com son e terra e mar. O horizonte de te ter e de partilhar a vida contigo alimenta-me, preenche-me e move-me. Preciso de casa e cama e comida juntos, de sentir o meu porto nos teus braços, ver contigo os dias nascerem, seguirem e fundirem-se no mar. Preciso de estar contigo sem pressa, saber que há amanhã. E que nele estás ainda, e eu também, com cabelos e mãos e bocas para se dar.

terça-feira, 22 de maio de 2007

Tan a mi manera



Depois da primeira atracção, identificar-se com alguém, assustadoramente. Sentir o peito galopar a cada contacto. Ver crescer a vontade de não deixar ir, de misturar tudo, colar, de cuidar e de ser cuidado. Sentir os pensamentos e os gestos em sintonia, começar a depender do sol que nasce do sorriso do outro, e que sem essa presença fica o vazio. Ver crescer isso em espelho. Depois de tudo, perceber que o desejo calado de que o sentimento não seja frágil e fugidio, mas grande como um rochedo e forte e seguro para resistir ao mar, é mútuo, preenche o meu sonho e diz-me por dentro que finalmente é, que vale a pena. Espero. Até ao fim do mar.

(imagem daqui)

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Angel-A, not an angel in disguise

Bom fim de semana :) Quem me dera ter asas

Devagar e urgentemente

Sweet dreams are made of this ***

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Nobody expects the Spanish Inquisition

Achei um pouco ridículo. Mas se estivesse em Londres eu teria ido lá bater uns cocos. Silly me :)

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Preciso não dormir

Escrevo como se pensasse pelos dedos e entendes sem eu explicar. O que és interessa-me e reflecte-me. A tua ausência deixa-me inquieta e o coração fica esperto quando regressas. Chamas-me o teu presente e vejo o futuro contigo. Sigo o aroma da tua comida e da tua pele, a tua voz no meu ouvido e o teu corpo no meu. Depois de falar aperto o telefone sob a roupa para não te deixar desvanecer. Tenho sede da vida pela tua boca e uma alegria inusitada ao ver-te agir. O mundo pelos teus olhos é-me familiar. Sou impelida a misturar o que tu tens que eu não tenho com o que tenho e tu não tens e os meus cabelos nos teus, na cumplicidade de quem se (re)conhece. De quem se quer, precisa, ama. Acontece.

Echale tumbao


Menino do Rio empina a tua pipa

Guardo um amigo que sente saudades da infância e constrói a sua pipa colada com massa cozida. Que quando não tem nada se mantém preparado na fé do que vai surgir. Diz a verdade com desfaçatez porque tem vergonha de mentir. Paga o seu passado quando dorme. Procura-me com ar aparentemente casual quando o mundo se parte em dois e tem que escolher um dos pedaços para permanecer. Para lhe lembrar quem é, porque o espelho se embaciou entre lágrimas e desventuras. Sabe o que quer mas pede que lho recorde. Nem repara que ao pedi-lo revela que já decidiu. Ao fazê-lo, elogia a minha amizade de forma muito profunda. Sempre que um sopro meu servir para desfazer o nevoeiro e ajudar a ver para onde quer voar a sua pipa, estarei ao dispor. Sem delongas porque a vitória é dele e espera-o.

segunda-feira, 2 de abril de 2007

Walking trouble

Y si fuera chevere - enhorabuena lo dejé

Bailemos que esta de apuro

terça-feira, 27 de março de 2007

Trying to catch up


I'm counting on that. Nervous, focused, busy, busy, busy and so help me God...

sexta-feira, 23 de março de 2007

Muda o dia

Obrigada pelas estrelas nos meus olhos ***** e pelos dias que mudam para melhor

terça-feira, 20 de março de 2007

sexta-feira, 16 de março de 2007

quinta-feira, 15 de março de 2007

Fronteira delicada

If a black man is racist, is it okay
If it's the white man's racism that made him that way
'cause the bully is the victim they say
By some sense they're all the same
'cause the line between
Wrong and right
Is the width of a thread from a spider's web
The piano keys are black and white
But they sound like a million colours in your mind

I could tell you to go to war
Or I could march for peace and fighting no more
How do I know which is right
And I hope he does when he sends you to fight

'cause the line between wrong and right
Is the width of a thread from a spider's web
The piano keys are black and white
But they sound like a million colours in your mind

Should we act on a play
Or should we chase the moments away
Should we live
Should we give
Remember forever the guns and the feathers in time

'cause the line between wrong and right
Is the width of a thread from a spider's web
The piano keys are black and white
But they sound like a million colours in your mind

The piano keys are black and white
But they sound like a million colours in your mind
They sound like a million colours in your mind
Katie Melua

terça-feira, 13 de março de 2007

Ainda bem que se fizeram dias assim





Dias em que tudo está igual, mas dói menos, sem grandes euforias, mas também sem sobressaltos, em que a música entra em nós e nos alegra, em que os pensamentos falam baixinho e nos deixam trabalhar. Seja o sol e o aroma de primavera no ar, um futuro melhor que se anuncia, o facto de eu viver rodeada de sorrisos lindos, de meninos bons e de gatos mimalhos, ou simplesmente porque há dias assim, está a valer.

domingo, 11 de março de 2007

Amor de Índio

Amor de Índio





Tudo que move é sagrado
E remove as montanhas
Com todo cuidado, meu amor
Enquanto a chama arder
Todo dia te ver passar
Tudo viver a teu lado
Com o arco da promessa
Do azul pintado pra durar
Abelha fazendo mel
Vale o tempo que não voou
A estrela caiu do céu
O pedido que se pensou
O destino que se cumpriu
De sentir seu calor e ser todo
Todo dia é de viver
Para ser o que for e ser tudo
Sim, todo amor é sagrado
E o fruto do trabalho
É mais que sagrado, meu amor
A massa que faz o pão
Vale a luz do teu suor
Lembra que o sono é sagrado
E alimenta de horizontes
O tempo acordado de viver
No inverno te proteger
No verão sair pra pescar
No outono te conhecer
Primavera poder gostar
No estio me derreter
Pra na chuva dançar e andar junto
O destino que se cumpriu
De sentir seu calor e ser tudo
(Beto Guedes)

sexta-feira, 9 de março de 2007

Ah vida inadiável!

"I knew a father who had a son
He longed to tell him all the reasons for the things he'd done
He did a long way just to explain
He kissed his boy as he laid sleeping and then he turned around and he headed home again..."

quinta-feira, 8 de março de 2007

Kit Sorriso - Ao Ouvido

"Diga que me ama muitas vezes, de todas as maneiras. Não me acostumo mal, prometo. Me acostumo sempre bem. Meus ouvidos não gastam e minha pele fica mais sedosa. Diga que me ama e meus cabelos ficam mais brilhantes, eu rebolo mais bonito, rio com os olhos, sinto um formigueiro bom no estômago e uma geléia nas pernas. Diga que me ama e eu ando melhor de bicicleta, desenho melhor e canto desafinando muito menos. Diga que me ama e eu brinco com o cachorro, tenho paciência no engarrafamento, me alimento direitinho e até como salada. Diga que me ama e meus olhos ficam quase verdes, minhas pernas ficam leves e todo mundo acha que eu tenho 5 centímetros mais. Diga que me ama e meu sono melhora, meu banho é mais demorado, eu ligo menos para as olheiras e caminho sem tropeçar pela calçada. Diga que me ama e eu não esqueço as chaves dentro do carro, ando de vidros abertos, ouço música alta dançando como uma louca e não me importo se riem de mim no sinal. Diga que me ama e eu trabalho dobrado, arrumo as gavetas, limpo a geladeira e ponho flores nos vasos. Diga que me ama e eu capricho no perfume, uso batom vermelho, ponho brincos maiores e compro um vestido estampado. Diga que me ama e tenho vontade de ir à praia, ando de pés descalços, nunca mais choro escondida no banheiro e imito seu jeito de falar. Diga que me ama e eu escuto Sinatra, escancaro as janelas e suspiro na fila do banco. Diga que me ama muitas vezes, de todas as maneiras. Não me acostumo mal, prometo. Me acostumo sempre bem."
Ticcia Antoniete

Kit sorriso - Detalhes


As mulheres querem-se a sorrir


"Creio que foi o sorriso,
o sorriso foi quem abriu a porta.
Era um sorriso com muita luz lá dentro,
apetecia entrar nele, tirar a roupa,
ficar nu dentro daquele sorriso.
Correr, navegar, morrer naquele sorriso."

Eugénio de Andrade

Até ao fim II

Até ao fim..



"Dance Me To The End Of Love"




Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic 'til I'm gathered safely in
Lift me like an olive branch and be my homeward dove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Oh let me see your beauty when the witnesses are gone
Let me feel you moving like they do in Babylon
Show me slowly what I only know the limits of
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the wedding now, dance me on and on
Dance me very tenderly and dance me very long
We're both of us beneath our love, we're both of us above
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the children who are asking to be born
Dance me through the curtains that our kisses have outworn
Raise a tent of shelter now, though every thread is torn
Dance me to the end of love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic till I'm gathered safely in
Touch me with your naked hand or touch me with your glove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Tenho uma carta escrita para ti cara bonita

I'm gonna sit right down
And write myself a letter,
And make believe it came from you.
I'm gonna write words oh, so sweet
They're gonna knock me off of my feet,
Kisses on the bottom,
I'll be glad I got 'em.

I'm gonna smile and say,
"I hope you're feeling better,"

And sign with love, the way that you do.
I'm gonna sit right down
And write myself a letter,
And make believe it came from you.
Madeleine Peyroux
Cartas escritas à mão. Cartas de amor, cartas de amizade, sérias, divertidas, de escrita corrida ou desenhadas. Receber uma carta no correio de alguém querido não é só uma notícia, é um presente, uma atenção, um pouco dos outros na nossa mão. Uma novidade, um segredo, uma declaração inconfessável olhos nos olhos.
O nervosinho antes de abrir o envelope, o cheiro no papel, as variações na letra, os extras lá dentro, uma fotografia, uma flor, pequenas e deliciosas insignificâncias. Sentir a carta na mão, ler depressa, depois mais devagar, sentir os detalhes e a pessoa junto de nós. Não há muitos presentes tão bons.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Dia branco

Foto de Fonseca, fototentativas




"Se você vier para o que der e vier comigo

Eu te prometo o sol, se hoje o sol sair

Ou a chuva, se a chuva cair.."


Começar em branco, um começo limpo, místico, meio a medo mas com vontade de seguir.
Bem-vindos. Vejamos aonde esta onda nos leva.